É um suplemento alimentar, formulado especificamente para o sistema nervoso central

Suplemento Alimentar

Apresentação

Embalagem de 30 cápsulas de AminoVit + 30 cápsulas de Ómega 3

Ingredientes TDR (1 cápsula) % VRN*
Extracto seco de Ginkgo biloba (padronizado a 25% de Ginkgólidos) 60 mg
Lactato de Cálcio (Corresponde a 13,8 % de Cálcio elemento) 45 mg 0,78%
Vitamina C (Ácido L-ascórbico) 40 mg 50,00%
Lactato de magnésio (Corresponde a 10,3 % de Magnésio elemento) 37 mg 1,02%
Extracto de Levedura de cerveja, enriquecida em Zinco (Saccharomyces cerevisiae, que corresponde a 10% de Zinco elemento) 28 mg 28,00%
Extracto de Levedura de cerveja, enriquecida em Selénio (Saccharomyces cerevisiae, que corresponde a 0,2% de Selénio elemento) 12 mg 43,64%
Extracto de Ginseng (Panax ginseng, que corresponde a 7% de ginsenósideos) 10 mg
Extracto de Griffonia simplicifolia (extracto seco a 25% de 5-htp natural) 10 mg
Extracto de Videira vermelha (Extracto de Vitis vinífera padronizado a 95% de OPC) 8 mg
Vitamina B3 (Nicotinamida) 8 mg NE 50,00%
L-Arginina 1,2 mg
L-Glutamina 1,2 mg
Vitamina B2 (Riboflavina) 0,89 mg 63,27%
Cloridrato de Piridoxina (Vitamina B6) 0,85 mg 60,71%
L-Metionina 0,80 mg
Vitamina B1 (Tiamina) 0,62 mg 56,36%
Vitamina B9 (Ácido fólico) 100 μg 50,00%
Vitamina B12 (Cianocobalamina) 1,25 μg 50,00%
Antiaglomerantes: Celulose microcristalina, Estearato de magnésio (E 470b), Dióxido de silício colóidal, Talco.

Indicações

Astenia.

Cansaço físico Esgotamento Cerebral.

Memória.

Stress.

Sistema imunitário.

Toma diária recomendada (TDR)

1 Cápsula de AminoVit por dia, ao almoço, com um copo de água.

Características

AminoVit Plus

É um suplemento alimentar, formulado especificamente para o sistema nervoso central.

Ginkgo biloba

É composto por extracto seco de Ginkgo biloba. A padronização é realizada a 24% ginkgoglicosídeos flavonóides (baseado em flavonas, como a quercetina, kaempferol e isoramnetina) e 6% lactonas terpenos (ginkgólidos e bilobalida). Os estudos clínicos demonstraram que os extractos de Ginkgo biloba contribuem para a melhoria dos sintomas associados com insuficiência cerebral, como a diminuição das funções cognitivas, perda de memória, depressão e zumbido. Os extractos de Gingko biloba actuam ao nível da circulação cerebral e tem acção nootrópica e neuroprotectora.

A Comissão E aprovou o uso interno de Ginkgo para o tratamento sintomático da perturbação do desempenho na síndrome cerebral orgânica com os seguintes sintomas principais: défices de memória, distúrbios de concentração, condição emocional depressiva, tonturas, zumbido e dor de cabeça.

As síndromes demenciais, incluindo a demência primária degenerativa, demência vascular, e formas mistas de ambos, são as patologias primárias-alvo. Diminuição da dor na doença arterial oclusiva periférica na Fase II (claudicação intermitente), Vertigens e tinnitus de origem vascular involutiva.

A Organização Mundial da Saúde em 1999, também aprovou o uso estabelecido pela Comissão E, acrescentando as seguintes condições específicas para a doença arterial oclusiva periférica: a doença de Raynaud (coloração azul intermitente das extremidades devido à diminuição do fluxo sanguíneo, sem causa directa conhecida, que não esteja relacionada com o frio ou estado emocional), e acrocianose (ou seja, a doença de Crocq: má circulação persistente nas mãos e, por vezes, nos pés, resultando em condição de frio azul, suado) e síndrome pós flebite (inflamação dolorosa das veias).

Panax ginseng

É tradicionalmente utilizado na convalescença e como profiláctico em problemas imunitários, pois permite aumentar a resistência, reduzir a susceptibilidade a doenças, promover a saúde e a longevidade. A sua actividade repercute-se em todo o corpo, em vez de determinados órgãos ou sistemas, o que dá suporte para a visão tradicional de que o ginseng é um tónico que pode revitalizar o funcionamento do organismo como um todo. A Comissão E aprovou o ginseng como um tónico para fortalecimento em casos de fadiga, debilidade ou falta de concentração no trabalho e para períodos de convalescença.

A OMS na sua monografia sobre o Panax ginseng aprova os usos mencionados pela comissão E, e ainda “afirma que pode ser “usado como um agente preventivo e restaurador para melhoria das capacidades físicas e mentais, nos casos de fraqueza, exaustão, cansaço e perda de concentração, e durante a convalescença.

Os componentes biologicamente activos do Panax ginseng são uma mistura complexa de saponinas, de triterpenos conhecidos como ginsenósidos. A raiz contém 2-3% de ginsenósidos que Rg1, Rc, Rd, Rb1, Rb2, e Rb0 são quantitativamente os mais importantes.

Vitis vinífera

É utilizada no tratamento da insuficiência venosa crónica, que se caracteriza pelo edema nos membros inferiores, tais como, varizes, sensação de peso, dor, cansaço, comichão e tensão. A videira contém diversos compostos fenólicos, dos quais se destacam as antocianidinas que protegem as veias, as artérias e reforçam a permeabilidade capilar cutânea, e as proantocianidinas que têm acção antioxidante e estabilizadora do colagénio presente nas membranas dos vasos.

Griffonia simplicifolia

É uma planta que tem utilização tradicional nos países africanos, as folhas como cicatrizante e o suco da folha no tratamento de edemas e problemas renais. As suas sementes são ricas em 5-hidroxitriptofano. O 5-HTP é um metabólito intermediário do aminoácido essencial L-Triptofano na biossíntese de serotonina. A absorção intestinal do 5-hidroxitriptofano não requer a presença de outros aminoácidos. O 5-HTP apresenta uma boa biodisponibilidade quando administrado por via oral, sendo que cerca de 70% da dosagem administrada atinge a corrente sanguínea e atravessa a barreira hematoencefálica, onde é transformado em serotonina e actua no sistema nervoso central.

L-Arginina

Aminoácido essencial, que actua na regulação da pressão arterial e na função vascular, aumentando a circulação sanguínea. A L-Arginina, é precursora do óxido nítrico (NO), molécula mensageira que desempenha um papel fundamental na regulação da pressão arterial e do fluxo sanguíneo, dilatando os vasos sanguíneos.

L-Glutamina

Glutamina é um aminoácido não essencial, sintetizado pelo organismo humano, e o aminoácido livre mais abundante no tecido muscular. Além de actuar como nutriente para as células imunológicas, promove o crescimento muscular. A Glutamina exerce funções de manutenção do sistema imunitário, equilíbrio ácido/básico durante estado de acidose; regula a síntese e a degradação de proteínas e contribui para a manutenção da homeostasia corporal.

L-Metionina

É um aminoácido essencial, sulfurado e, ao contrário das bactérias, os humanos não conseguem sintetizar metionina a partir do ácido aspártico. Após absorvida, participa na formação da cisteína e da cistina, substâncias muito importantes ao organismo por serem a sua principal fonte de enxofre. Ajuda no mecanismo de desintoxicação orgânica. A Metionina é metabolizada através de uma enzima que forma a S-adenosil L-metionina (SAM), a partir da Metionina e de ATP presentes no cérebro e no fígado. Para ser absorvida a metionina necessita da ajuda de várias substâncias como a vitamina B12, B6 e magnésio, presentes nesta composição.

A Metionina é precursora de várias substâncias importantes para o organismo, tais como a serina, creatina, epinefrina e carnitina, apresenta acção analgésica, por conter uma fonte de enxofre que origina diversas endorfinas (substâncias analgésicas produzidas no nosso cérebro). Actua na doença de Parkinson (estimula a produção de dopamina), na depressão (especialmente como SAMe, que actua como anti- depressivo).

Cálcio

Constitui uma fonte de cálcio e tem em comparação com outros sais de cálcio, uma boa solubilidade e biodisponibilidade. O cálcio em conjunto com a vitamina K actua no sistema circulatório e é um dos factores da cascata de coagulação.

Participa na transmissão sináptica, na contracção muscular e cardíaca.

Magnésio

O magnésio é um catião de localização intracelular dominante, que regula a excitabilidade neuronal e a transmissão neuromuscular. Intervém em numerosas reacções enzimáticas e melhora o desempenho e vitalidade cerebral, previne a falta de memória e o declínio cognitivo causados pela idade.

Zinco

Participa na divisão celular, em processos fisiológicos como o crescimento e desenvolvimento, actua como estabilizador das membranas celulares e participa no sistema imunitário e no desenvolvimento cognitivo.

Selénio

O selénio é um oligoelemento que é essencial em pequenas quantidades mas, como todos os elementos essenciais, a sua sobredosagem pode ser tóxica. É essencial para a produção do aminoácido L-selenocisteína e das selenoproteínas. É um importante cofactor enzimático, sendo necessário para a formação e função da glutationa peroxidase, da tioredoxina redutase, e da selenoproteína P. Intervém em processos de oxidação-redução, protegendo as células e as membranas celulares do stress oxidativo. O selénio contribui para um bom funcionamento do sistema imunitário através da activação, proliferação e diferenciação das células T.

Vitamina C

Vitamina C, também conhecida como ácido ascórbico, é uma vitamina solúvel em água. Os seres humanos não têm a capacidade de produzir ácido ascórbico e deve obter a vitamina C através da dieta. A vitamina C actua como cofactor essencial para numerosas reacções enzimáticas, por exemplo, na biossíntese de colagénio, carnitina, e as catecolaminas, e como um antioxidante potente. Estudos prospectivos indicam que um maior consumo de vitamina C a partir de qualquer dieta ou suplementos está associado a um risco reduzido de doenças cardiovasculares (DCVs), incluindo doença cardíaca coronária e acidente vascular cerebral.

Vitamina E

Actua como antioxidante, ao nível das células e tecidos, eliminando os radicais livres e protegendo as membranas celulares. É indispensável à actividade enzimática, actuando como coadjuvante no metabolismo dos lípidos (inibe a oxidação das gorduras). Tem efeito protector do miocárdio, actua como cardioprotector e vasodilatador, melhorando a circulação sanguínea.

Vitamina B6

Intervém no metabolismo das proteínas e dos aminoácidos. É indispensável para a absorção do Magnésio e também para a transformação do Triptofano em serotonina. Participa no metabolismo da Hemoglobina. É benéfica para o sistema nervoso central e actua como imunomodulador.

Vitamina B2

Actua como intermediário na transferência de electrões nas reacções Oxi-redução ao nível dos tecidos, permitindo a formação da glutationa peroxidase que capta os radicais livres.

Participa no metabolismo dos lípidos, glícidos e poteínas e na formação de eritrócitos, aumentado a quantidade de oxigénio transportado às células. A vitamina B2 actua na neurotransmissão dos impulsos nervosos e nas sinapses cerebrais.

Vitamina B1

Actua como factor de crescimento, sendo indispensável ao sistema nervoso, músculos e coração, Possui acção antidepressiva e ansiolítica. Favorece a absorção do oxigénio pelas células cerebrais (melhora a microcirculação, concentração, cognição e aprendizagem). Tem ainda acção cardioprotectora e vasoprotectora.

Vitamina B3

Em doses elevadas baixa a taxa de colesterol LDL (mau colesterol) no organismo, por inibir os seus transportadores.

Previne os problemas cardiovasculares e apresenta efeito vasodilatador. Ajuda no combate aos problemas do foro psiquiátrico (instabilidade mental, alterações de humor e outras). Actua no processo digestivo. Participa na síntese de várias hormonas como estrogénio, progesterona e testosterona, hormonas tiroideias e insulina. Participa no metabolismo dos glícidos, lípidos e proteínas.

Vitamina B9

O ácido fólico ou folato, vitamina pertencente ao complexo B (vitamina B9), participa do metabolismo dos aminoácidos e da síntese dos ácidos nucléicos. É essencial para a formação das células do sangue. A deficiência de folato pode ser a hipovitaminose mais comum.

O folato é amplamente encontrado nos alimentos, no entanto entre 50 a 95% é perdido durante o processamento e preparação dos alimentos. Terapeuticamente, ácido fólico é fundamental para reduzir os níveis de homocisteína e a ocorrência de defeitos do tubo neural.

Estudos realizados demonstraram que concentrações mais baixas de Vitamina B9 e B12 estão associados a concentrações mais elevadas de homocisteína. Também foi observado que níveis baixos de vitamina B9, são especialmente relevantes no declínio cognitivo e diminuição da fluência verbal.

Vitamina B12

Participa na formação e desenvolvimento dos eritrócitos.

Regula o funcionamento do sistema nervoso, actua no metabolismo das gorduras, proteínas e glícidos, transformando-os em energia. Desempenha também, um papel muito importante na concentração, no equilíbrio e na memória.

Em conjunto com a vitamina B9, participa na formação das purinas que são indispensáveis à formação dos ácidos nucleicos.

 

Interacções

Ginkgo biloba: Anticoagulantes, Benzodiazepinas, inibidores selectivos da recaptação da serotonina, miorelaxantes, antidepressivos, Antipsicóticos, bloqueadores beta, xantinas, triptanos, fenotiazinas, Inibidores da bomba de protões, Antiepilépticos e anticonvulsivantes, estatinas, antidiabéticos orais, IECAS, AINE’s, tamoxifeno, codeína, Antagonista dos receptores colinérgicos do tipo muscarínicos, anticolinesterases, metadona, ondansetron, tramadol, trazodona, claritromicina, estrógenos, antivíricos e hidroclorotiazida.

Panax ginseng: Álcool, cafeína, diuréticos da ansa, antidiabéticos orais e insulina, inibidores selectivos da recaptação da serotonina, miorelaxantes, antidepressivos, Antipsicóticos, AINE’S, imunossupressores, anticoagulantes, pseudoefedrina.

Vitis vinífera: Não existem dados disponíveis

Griffonia simplicifolia: Carbidopa, Metildopa, Tramadol, Inibidores da Recaptação de Seratonina, Inibidores da Monoaminoxidase, Antidepressivos Derivados Tricíclicos, Hipericão.

L-Arginina: AINE’s, Diuréticos, IECAS, Nitroglicerina transdérmica.

L-Glutamina: Lactulose, Citotóxicos, Antiepilépticos e anticonvulsivantes.

L-Metionina: Dopaminomiméticos

Cálcio: Bisfosfonatos, Antiácidos que contenham sais de alumínio, Bloqueadora Beta e da entrada de cálcio, Resinas sequestradoras e Inibidores da absorção de colesterol, Corticosteróides, Digoxina, Diuréticos, Estrógenos, Antibióticos (Tetraciclinas e Quinolonas) Antiepilépticos e anticonvulsivantes (Fenitoína, carbamazepina, Fenobarbital).

Magnésio: Antibióticos (Quinolonas, Tetraciclinas), Bloqueadores Beta e da entrada de cálcio, Digoxina, Diuréticos, hormonas sexuais e da tiróide, Penicilamina, Bisfosfonato, Inibidores da bomba de protões.

Zinco: Antibióticos, Anti-hipertensores, AINE´s, Diuréticos Tiazidicos, Amilorida, Penicilamina, IECAS, Álcool, Fitatos e Oxalatos.

Selénio: Clozapina, Ácido Valpróico, Corticosteroides, Estatinas, Antineoplásicos, Inibidores dos receptores H2, Inibidores da bomba de protões.

Vitamina C: Estrogénios, Aspirina, Anticoagulantes orais, Paracetamol, Inibidores de protéase, Citotóxicos, Ferro.

Vitamina E: Ciclosporinas, antimicóticos derivados tiazólicos, citotóxicos, anticoagulantes orais, Estatinas.

Vitamina B6: Álcool, Penicilamina , Hidralazina, Isoniazida, Cicloserina, Teofilina, Contraceptivos orais, Levodopa, Estatinas, Fenobarbital e Fenitoína.

Vitamina B2: Anticolinérgicos, antidepressivos tricíclicos, fenobarbital

Vitamina B1: Antidiabéticos, 5-fluorouracilo, diuréticos da ansa, álcool

Vitamina B3: Levodopa, Fenobarbital, Fenitoína, Contraceptivos orais, Isoniazida, Hidralazina e Penicilamina.

Vitamina B9: Antiepiléticos, Antibacterianos, Sulfassalazina.

Vitamina B12: Aminoglicosidios, antiepilépticos, biguanidas, clorafenicol, colestiramina, sais de potássio, dopametilo e agentes antiácidos. A administração concomitante de contraceptivos orais e vitamina B12 pode provocar a diminuição da concentração plasmática de vitamina.

Contra-indicações

Hipersensibilidade a qualquer um dos constituintes.

Ginkgo biloba: Terapia com anticoagulantes

Panax ginseng: Doenças auto-imunes e imunosuprimidos, Doença cardíaca, carcinomas hormonodependentes.

Vitis vinífera: Não existem dados disponíveis

Griffonia simplicifolia: Insuficiência Renal. Anestesia. Inibidores da Recaptação de Seratonina, Inibidores da Monoaminoxidase, Antidepressivos Derivados Tricíclicos.

L-Arginina: Úlceras pépticas, Herpes, Deficiência de guanidinoacetato metiltransferase.

L-Glutamina: Não são conhecidos nas doses indicadas

L-Metionina: Acidose, aterosclerose, doenças hepáticas, deficiência metilenotetrahidrofolato redutase.

Cálcio: Hiperparatiroidismo, Sarcoidose, Hiperfosfatemia ou Hipofosfatemia.

Magnésio: Insuficiência Renal, bloqueio cardíaco, lesão miocárdica, Hipermagnesémia e Miastenis gravis.

Zinco: Na dose indicada, não são conhecidos.

Selénio: Insuficiência renal e hepática.

Vitamina C: hemocromatose, insuficiência renal e deficiência metabólica da glicose-6-fosfato desidrogenase.

Vitamina E: Angioplastia (imediatamente a seguir ao procedimento), retinite pigmentosa, hipovitaminose de vitamina K

Vitamina B6: Insuficiência hepática e renal.

Vitamina B1: Insuficiência hepática, alcoolismo crónico.

Vitamina B3: Doença cardíaca e Levodopa.

Vitamina B12: Não administrar na mulher grávida com anemia megaloblástica. Doença de Leber (atrofia hereditária do nervo óptico) nem na ambliopia tabágica ou alcoólica pois a neuropatia óptica pode ser agravada.

Efeitos indesejáveis

Ginkgo biloba: Aumento do risco de hemorragias (ex. Epistaxis), dores de cabeça e tonturas, problemas gastrointestinais como dores abdominais, náuseas e vómitos. Pode ocorrer reacções alérgicas na pele (eritema, edema, prurido e exantema).

Panax ginseng: Reacções de hipersensibilidade (urticária, prurido), insónia e distúrbios gastrointestinais, como desconforto no estômago, náuseas, vómitos, diarreia e constipação foram relatados. A frequência não é conhecida.

Vitis vinífera: Alergia de contacto e/ou reacções de hipersensibilidade da pele (prurido e eritema, urticária) foram relatados. A frequência não é conhecida. Por via oral, pode ocorrer náuseas, queixas gastrointestinais e dor de cabeça podem ocorrer, mas a frequência não é conhecida.

Griffonia simplicifolia: Náuseas, dores abdominais, e distúrbios gastrointestinais, os quais tendem a desaperecerem, com a toma ou com uma redução na dose diária.

L-Arginina: Desconforto gastrointestinal, dor abdominal, distensão abdominal, diarreia, gota, alergias, inflamação das vias respiratórias, agravamento da asma e pressão arterial baixa.

L-Glutamina: Não são conhecidos nas doses indicadas.

L-Metionina: Não são conhecidos nas doses indicadas.

Cálcio: Na dosagem apresentada não existem indícios de efeitos adversos, no entanto pode ocorrer obstipação.

Magnésio: Na dosagem apresentada não existem indícios de efeitos indesejáveis.

Zinco: Deficiência em Cobre, com uso prolongado de zinco. Problemas de estômago, que podem ser contornados, com a ingestão de alimentos. Pode originar gosto metálico na boca, neste caso reduzir a dose diária.

Selénio: Na dosagem apresentada não existem indícios de efeitos indesejáveis.

Vitamina C: náuseas, vómitos, azia, dores de estômago, dor de cabeça.

Vitamina E: Náuseas, diarreia, dores de estômago, fadiga, fraqueza, dor de cabeça, visão turva, erupção cutânea. Hematomas e hemorragias em caso de sobredosagem.

Vitamina B6: Crianças com idade inferior a 12 anos. Doentes com compromisso renal ou hepático.

Vitamina B2: Coloração amarelo-alaranjada da urina, em doses elevadas pode causar diarreia e aumento da diurese.

Vitamina B1: São raras mas podem ocorrer reacções alérgicas e irritação da pele.

Vitamina B3: Náuseas, dor de cabeça, parestesia, perturbações da memória, insónias, sonolência, púrpura trombocitopénica.

Vitamina B12: Não são conhecidos nas doses indicadas.

Advertências

Ginkgo biloba: Não administrar a doentes com problemas de coagulação ou em terapia anticoagulante.

Panax ginseng: Não se aconselha a sua administração a adolescentes e crianças, por falta de dados.

Cálcio: Deve ser utilizado com precaução em doentes renais (insuficiência renal).

Zinco: Uso prolongado induz a deficiência em cobre. Vitamina E: Deve ser administrada com precaução a doentes cardíacos.

Vitamina B6: A administração a longo prazo de elevadas concentrações de Piridoxina está associada com o desenvolvimento de neurotoxicidade.

Vitamina B12: Não deve ser administrado a doentes oncológicos

Recomendações

Não deve ser excedida a toma diária indicada.

Os suplementos alimentares não são substitutos de um regime alimentar variado e equilibrado nem de um modo de vida saudável.

Conservar na embalagem original protegida da luz, em local seco e a temperatura inferior a 25°C.

Manter fora da vista e do alcance das crianças.

O uso seguro durante a gravidez e amamentação não foi estabelecido. Na ausência de dados suficientes, o uso durante estes períodos não é recomendado.

O produto não deve ser utilizado no caso de hipersensibilidade ou alergia a qualquer um dos constituintes da formulação.